21/08/2009

A ENTOMOLOGIA BRASILEIRA


Pretendia escrever hoje, nessa sexta feira de tempo meio xinfrim, alguma coisa sobre a crise do Senado Federal e os desarranjos do PT. Desisti. O tema não me motiva. Prefiro falar sobre as baratas. Sim, as baratas, os insetos ortópteros que, quando com hábitos domésticos, esculhambam a nossa vida e apavoram as senhoras e senhoritas.

Recorri ao meu google de cabeceira. Quando falo de google de cabeceira, não me refiro, por óbvio, ao sítio de buscas virtuais. Meu material de consulta imediato é o Dicionário do Folclore Brasileiro, do Luís da Câmara Cascudo - um cabra que escreveu sobre qualquer coisa que diga respeito ao Brasil e o maior especialista do mundo nas artimanhas do curupira.

Pasmem - o dicionário do Cascudo não tem verbete sobre as baratas na cultura popular. Eis, então, um assunto sobre o qual o folclorista não escreveu.

Recorri ao Houaiss. O calhamaço apresenta definições para dezenove tipos de baratas. Li todos os verbetes e descobri coisas do arco da velha. Vou me especializar no tema.

Descobri, por exemplo, que existe um tipo de barata que atende pelo nome de barata-noiva. É um espécime esbranquiçado de barata, antes do escurecimento do tecido cutâneo.

Gostei também de saber que existe a barata-nua, mais conhecida como barata-oriental. Ela é cosmopolita, tem hábitos domésticos, é quase negra e tem asas abreviadas.

A popular baratinha, vejam vocês, é alemã. O nome cietífico da moça é Blatta Germanica.

A minha predileta, porém, é a barata-do-arroz. Reproduzo o verbete e clamo para que os amigos leiam até o final :

barata-do-arroz

substantivo feminino
Rubrica: entomologia.
inseto hemíptero (Tibraca limbativentris), da fam. dos pentatomídeos, que ataca plantações de arroz, trigo, soja e tomate de todo o Brasil; cangapara, frade, percevejo-castanho, percevejo-da-haste, percevejo-grande-do-arroz, sarnei

Vejam os senhores - a barata-do-arroz, que ataca e destrói plantações em todo o Brasil e esculhamba a lavoura canarinho , é também conhecida como sarnei.

Prometo continuar meus estudos entomológicos. Já estou pensando, até, em compor um samba-enredo sobre o maravilhoso universo da Leucophaea maderae [a barata-cascuda].

Enquanto vou procurar inspiração para fazer a obra assistindo aos debates da TV Senado, fiquem com uma propaganda que marcou a infância da minha geração e dá uma bela dica sobre como se livrar das baratinhas nossas de cada dia:



4 Comentários:

Anonymous Guigo disse...

Simas, creio que a baratona que apavora moças e senhoras e muitos marmanjos seja a Periplaneta americana.
Por outro lado, os melhores livros sobre a nossa fauna, sejam aqueles escritos pelo Eurico Santos, divertidíssimos e brasileiríssimos! Veja aqui:
http://www.submarino.com.br/produto/1/34106?franq=134562
e aqui:
http://www.planetanews.com/autor/EURICO%20SANTOS

8:24 AM  
Blogger alberto disse...

rodox é covardia!
tenho pena das baratas

1:52 AM  
Blogger 1984 disse...

mto bom!

7:56 PM  
Anonymous Thiago Braga disse...

Absolutamente genial! O blog é, de fato, um patrimônio. Essa pobre barata que só ataca as plantações de arroz, trigo, soja e tomate não merece uma alcunha tão desproporcional. Aposto que ela atacava as plantações abertamente (não era , provavelmente, uma atitude ou um ato secreto) e assumia seus atos famigerados, ocasionados por puro instinto. Essas baratas, adeptas da antiga ortografia, defendem-se pautadas no argumento do y da questão; faz toda a diferença. E nós sabemos quem teve a ideia(sem acento, não segundo a Tibraca limbativentris, que utiliza acento e não admite o uso do y) da reforma ortográfica.

12:51 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início