04/05/2009

O DEMOLIDOR DE CAMPEÕES


A minha atenção futebolística, a partir do final deste mês de maio, estará concentrada no campeonato baiano da segunda divisão. Sou, na boa terra, admirador confesso do Galícia Esporte Clube.

O Galícia foi fundado no primeiro dia do ano de 1933 por imigrantes espanhóis, liderados por Eduardo Castro Iglesias e José Carrero Oubiña. Estavam, evidentemente, curtindo a porranca do fim de ano quando tiveram a brilhante ideia. De início a intenção era criar um time de futebol que servisse como difusor da união entre os galegos residentes em Salvador.

O troço deu certo e, pouco tempo depois, o Galícia conquistava o primeiro título de sua história, o baianão de 1937. O esquadrão formado por De Vinche; Bubu e Bisa; Ferreira, Vani e Walter; Dedé, Servilho, Bermudes, Vareta, Palito e Moela; atropelou os favoritos Bahia, Vitória, Botafogo e Ypiranga e marcou o início da trajetória vitoriosa dos azulinos, consolidada com um histórico tri-campeonato no início dos anos quarenta [41, 42, 43].

[Atentem, aliás, para essa maravilha que é o trio de atacantes galegos de 1937 - Vareta, Palito e Moela. Bons tempos e bons apelidos. O atual mercado da bola exige que os jogadores já tenham nomes que facilitem a inserção no futebol internacional. Saem os Varetas e Palitos e entram na cancha os Wellington Santos, Fábio Marques, Diego Souza, Tiago Neves e outras pérolas do gênero.]

O Demolidor de Campeões - bela alcunha, sô - atualmente rala na segunda divisão baiana, o que considero um absurdo tão grande quanto a ausência de São Cristovão, Olaria, Bonsucesso, Portuguesa e América na elite do futebol carioca. Nestes tempos doidos de jogadores-produtos, clubes-empresas e outras sandices do gênero, urge torcer para que os granadeiros da cruz de Santiago consigam dar a volta por cima. O futebol agradecerá.

O hino do Galícia é bom pácas. Compara o time a um forte toureiro; fala de amor e galhardia; diz que os torcedores do clube são modestos, ordeiros e animados; e sintetiza o que o Galícia representa em uma sentença definitiva - a alegria do futebol baiano. Ouçam clicando aqui . O autor é Francisco Icó da Silva e essa gravação que botei na rede é a do hino interpretado pelo Trio Inema, formado por Tom, Dito e Douglas.

Enfim, amigos, que se dane o brasileirão global. O destino do futebol brasileiro que me interessa será jogado nas segundonas. Galícia na Bahia e América no Rio são minhas apostas. Torcerei descaradamente por eles.

Abraços.

Marcadores: ,

6 Comentários:

Blogger Felipinho disse...

Azul e branco são as cores da bandeira da Galicia, uma província da Espanha. E esta cruz vermelha é a de Santiago.

5:46 PM  
Anonymous Mariara disse...

Eita!
Há tempos que não ouvia falar do Galícia!
Nem sei o que fizeram do campo deles....
Um abraço da Bahia(cheia de água)!

8:17 PM  
Anonymous Anônimo disse...

O Galícia é o "primo-pobre" da colônia Espanhola na Bahia. Os galegos enriqueceram mas o clube empobreceu.... mas ainda vive.

O Título de "Demolidor de Campeões" foi ganho na decada de 1940 após vencer diversos Campeões Estaduais do Sul e Sudeste.

Valeu pela lembrança.

Helvécio

11:44 PM  
Blogger serret disse...

Tive a honra de ser presidente do Galicia Esporte Clube, e fico feliz em ver que o nosso Galicia fica cada vez mais forte, com essa parceria que foi fechado com o co irmão Vitoria almejaremos voôs mais altos, quanto ao nosso campo Mariana está no mesmo lugar e com atividades diversas.

6:14 PM  
Anonymous Beto Boullosa disse...

Acompanhem notícias do Galícia no Granadeiros Azulinos: http://www.granadeiros.com

Rumo à Primeira Divisão!

Abraços,
Beto Boullosa

6:50 PM  
Anonymous jaime alban disse...

BWLA REPORTAGEM, REALMENTE ACHO QUE O GALICIA VAIVOLTAR AO LUGAR DE ONDE NUNCA DEVERIA TER SAIDO.
TIVE A HONRA DE SER TREINADOR DAS DIVISÕES DE BASE DETE TIME POR VARIOS ANOS. E ME ORGULHO DE SER GALICIANO E DE TER NASCIDO EM GALICIA NA ESPANHA
AVANTE GRANADEIRO , RUMO A 1ª DIVISÃO

1:04 AM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Início